Limpeza de clínicas: o que você precisa saber antes de começar?

Cris Collina
21/03/2023
Compartilhe:

Conheça os cuidados que são necessários para a limpeza e desinfecção em ambientes de assistência a saúde.

Limpeza de clínicas: o que você precisa saber antes de começar?

Limpeza e desinfecção são pilares que sustentam os ambientes de assistência à saúde. Sem esses cuidados, a vida de profissionais, pacientes e familiares fica em risco. Por isso, as práticas de limpeza e desinfecção de artigos e superfícies em clínicas de assistência à saúde são imprescindíveis para a segurança e para o bem-estar das pessoas envolvidas. 

No artigo anterior, falamos sobre alguns dos fatores que merecem maior atenção durante o processo de limpeza e quais as superfícies em serviços de saúde que precisam ser limpas com maior regularidade.

Aqui, vamos mostrar como são classificadas as áreas dentro de uma clínica, já que cada superfície ou artigo demanda produtos e protocolos de limpeza diferentes. Mas, antes disso, vamos saber quais os equipamentos de segurança necessários para que os procedimentos de limpeza e desinfecção possam ser realizados de forma segura. Prontos? Então, vamos lá! 

Quais equipamentos de segurança são importantes na limpeza e desinfecção de clínicas? 

Para começar, é preciso saber que há uma Norma Regulamentadora, a NR-32, que trata de todas as informações envolvendo os equipamentos de segurança necessários para os procedimentos de limpeza. Estes equipamentos incluem os Equipamentos de Proteção Individuais (EPI) e Coletivos (EPC), que são considerados elementos primordiais na contenção de barreiras primárias.

Sendo assim, o uso correto dos itens de segurança pode reduzir ou eliminar a exposição dos profissionais que atuam diretamente com agentes biológicos, bem como todos que circulam pelo ambiente.

Por isso, a avaliação em relação à efetividade e ao bom estado dos EPIs e EPCs deve ser diária e recorrente para a garantia da sua função de proteção.

Então, para entender melhor a questão dos riscos nos ambientes e os tipos de equipamentos de segurança que devem ser utilizados, preparamos um quadro de EPIs e EPCs necessários, de acordo com o tipo de risco e proteção.

Como é feita a classificação das áreas contidas em uma clínica?

Bem, agora que sabemos da necessidade de utilização dos equipamentos de segurança para os procedimentos de limpeza, vamos compreender quais são e como são divididas as áreas dos serviços de saúde. Nestes espaços, as áreas são classificadas de acordo com o nível de risco de transmissão de infecções, com base nas atividades realizadas no local.

Dessa maneira, a classificação das áreas é uma ferramenta importante, que auxilia em estratégias mais eficientes contra contaminação e transmissão de doenças, além de facilitar a elaboração de procedimentos para limpeza e desinfecção de superfícies em serviços de saúde. 

O objetivo da classificação das áreas dos serviços de saúde é orientar as complexidades, a minuciosidade e o detalhamento dos serviços a serem executados nesses setores, para que o processo de limpeza e desinfecção de superfícies esteja adequado a cada tipo de risco.

A definição das áreas dos serviços de saúde foi feita considerando o risco potencial para a transmissão de infecções. A classificação (ANVISA, 2010) das áreas fica assim então: 

  • áreas críticas
  • semicríticas
  • não críticas

No quadro a seguir, é possível encontrar as especificidades de cada área dentro do ambiente das clínicas. Veja só: 

Área por criticidadeCaracterísticas do ambienteExemplos desse tipo de área em uma clínica
CríticasSão os ambientes onde há risco aumentado de transmissão de infecções, são realizados procedimentos de risco, com ou sem pacientes, ou onde se encontram pacientes imunodeprimidos.
  • Sala de exames e/ou de procedimentos
  • Espaço destinado para lavagem de instrumentais e/ou artigos
  • Área de esterilização de materiais
SemicríticasSão todos os compartimentos ocupados por pacientes com doenças infecciosas de baixa transmissibilidade e doenças não infecciosas.
  • Enfermarias e apartamentos
  • Ambulatórios
  • Banheiros
  • Posto de enfermagem
  • Elevador
  • Corredores
Não críticasSão todos os demais compartimentos dos estabelecimentos assistenciais de saúde que não são ocupados por pacientes e nos quais não são realizados procedimentos de risco
  • Vestiário
  • Copa
  • Áreas administrativas
  • Almoxarifado
  • Recepção

Por fim, vale dizer que, ainda que existam questionamentos em relação à classificação das áreas, pois o risco de infecção do paciente estaria mais ligado ao tipo de procedimento pelo qual ele passa do que ao local em que ele está, essas classificações são importantes para nortear o líder, supervisor ou encarregado do departamento de Serviço de Limpeza e Desinfecção de Superfícies em Serviços de Saúde em suas funções, como:

  • divisão de atividades
  • dimensionamento de equipamentos
  • quantidade de profissionais
  • quantidade e tipo de materiais e produtos de limpeza
  • desenvolvimento de cronogramas de limpeza, segundo os níveis de criticidade
Leia mais

Então, agora que você sabe mais sobre a classificação das áreas em clínicas e a importância dela para procedimentos de limpeza e desinfecção mais eficazes, conte com as soluções em produtos de limpeza profissional da Oleak.

Até o próximo artigo! 🙂

    Receba nossa newsletter

    Leia também