Outubro Rosa: prevenção ao câncer de mama, autocuidado e saúde da mulher

Outubro Rosa

Em outubro, todos nós usamos rosa para lembrar da importância dos exames periódicos na prevenção do câncer de mama. Saiba mais sobre a campanha, e lembre-se: estar bem informada é o primeiro passo na luta contra o câncer de mama.

Olhar para si, perceber os sinais do corpo e cuidar da saúde. Outubro chega na cor rosa para reforçar, incentivar e levar informação sobre o câncer de mama, suas formas de prevenção e a importância do diagnóstico precoce. A doença é responsável por atingir, a cada ano, cerca de 66 mil mulheres no Brasil, de acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA).

O câncer de mama tem alta incidência e um alto índice de mortalidade, no entanto, estudos do INCA também mostram que um diagnóstico ainda nos estágios iniciais do câncer de mama pode representar até 90% de chances de cura. 

Por isso, a iniciativa do Outubro Rosa é fundamental para alertar a sociedade, disseminando informações relevantes, ressaltando a importância do autocuidado e quebrando tabus como o fato de tocar o próprio corpo. O movimento de se perceber é um movimento que salva vidas. 

Para colaborar com a campanha do Outubro Rosa e partindo do nosso propósito de proteção à saúde, preparamos este artigo com as principais questões relacionadas à prevenção e ao diagnóstico do câncer de mama. 

Aproveite a leitura e cuide-se. 

Mas por que Outubro Rosa?

Para começar, vamos explicar o motivo pelo qual a campanha se intitula Outubro Rosa. O nome faz referência à cor do laço rosa, símbolo da luta contra o câncer de mama, que nasce com o objetivo de estimular a participação de toda a população, das empresas e das entidades em geral. 

O movimento teve início nos Estados Unidos, onde vários Estados realizavam ações isoladas para falar sobre o câncer de mama, durante os meses de Outubro. Depois, com a aprovação do Congresso Americano, o mês tornou- se, de fato, o mês norte-americano de prevenção do câncer de mama.


Em 1990, o símbolo do laço rosa foi lançado pela Fundação Susan G. Komen for the Cure e distribuído aos participantes da então primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova York. Desde então, a prova é promovida anualmente na cidade.

A iniciativa do Outubro Rosa cresceu, expandiu e ganhou o mundo, motivando e unindo pessoas, cidades e países em torno da conscientização e da prevenção do câncer de mama.

No Brasil, desde 2002, luzes rosas se acendem em alguns dos principais pontos e monumentos do País. A iluminação alterada nos espaços públicos desempenha um papel importante de alerta e dialoga em uma linguagem visual compreendida globalmente.

monumentos_iluminados_outubro_rosa

Mas, mais do que iluminar pontos importantes em diversas cidades pelo Brasil, o Outubro Rosa realiza mutirões de mamografia por todo território nacional e leva a conscientização em relação ao autocuidado e a importância da detecção precoce do câncer de mama.

Câncer de mama: o que é?

O câncer de mama se manifesta como resultado de um desenvolvimento anormal das células da mama. Nessa situação, elas se multiplicam repetidamente e indiscriminadamente, formando um tumor maligno.

Vale destacar que não existe apenas um câncer de mama, pois a doença inclui um grupo heterogêneo de tumores, com comportamentos e manifestações clínicas e morfológicas diferentes e, consequentemente, tratamentos e respostas bastante variadas. 

Entre os tipos existentes, o chamado carcinoma ductal infiltrante é o mais comum e compreende entre 80 e 90% do total de casos.

Importância do autocuidado: saúde e fim do tabu

O mês de Outubro é apenas um lembrete de que não se deve deixar de lado o autocuidado em relação ao câncer de mama. Muitas vezes, envoltas nas demandas do dia a dia e com receio de tocar o próprio corpo, muitas mulheres esquecem de cuidar de si mesmas, de se permitir sentir e perceber os sinais. 

É preciso dar conta de muita coisa, mas o ato de dedicar um tempo para cuidar de si é fundamental para que a saúde esteja em dia e para que seja possível seguir com as tarefas. 

O autocuidado deve ser encarado como um hábito, inserido na rotina, com a intenção de preservar a saúde física e mental. Em relação ao câncer de mama, as práticas de autocuidado, como o autoexame, refletem tanto na prevenção da doença, quanto na detecção precoce do tumor.

O Outubro Rosa traz a mensagem de que é preciso romper com barreiras e fazer do autocuidado um ato de amor próprio.

Mas o que posso fazer para reduzir o risco do câncer de mama?

O câncer de mama pode ter causas genéticas, mas também está relacionado a hábitos e comportamentos. 

Por isso, algumas medidas simples no estilo de vida já têm impacto significativo para reduzir as chances de desenvolver o câncer de mama. Veja só o que você pode fazer para viver mais e melhor:

  • mantenha hábitos saudáveis;
  • faça exercícios regularmente (30 minutos de atividade física por dia já é capaz de trazer benefícios para à saúde); 
  • opte por uma dieta equilibrada;
  • evite bebidas alcoólicas e cigarro;
  • mantenha o peso corporal adequado.

Autoexame: movimento de prevenção 

O autoexame é uma prática que auxilia no conhecimento do próprio corpo, é um movimento importante na direção da apropriação corporal, no entanto, ele não deve ser a única fonte de cuidado ou substituir a avaliação médica.

As idas ao ginecologista e a realização de exames de rotina devem ser mantidas também como parte do autocuidado da saúde da mulher. E, mesmo sem sintomas, mulheres a partir dos 40 anos devem fazer, anualmente, o exame clínico das mamas. Já no caso de mulheres consideradas de alto risco, o acompanhamento médico deve ser individualizado. 

Observar e apalpar as mamas, com movimentos suaves, mensalmente, é uma forma de identificar possíveis nódulos ou outros sinais, como veremos a seguir, e trata-se de uma prática recomendada pelo Ministério da Saúde, pelo Instituto Nacional de Câncer (INCA) e pela SBM. 

Mas, não se esqueça: o autoexame não deve substituir o acompanhamento médico e o câncer de mama em estágio inicial pode ser assintomático, sendo detectado somente por meio de exames (como mamografia, ultrassonografia ou ressonância magnética). 

Quais os sintomas do câncer de mama?

Durante o autoexame, é preciso observar se as mamas apresentam sinais como:

  • nódulos palpáveis na mama ou região das axilas (geralmente indolor, duros e irregulares);
  • alterações na pele que recobre o local do nódulo;
  • região da mama com aspecto parecido a uma casca de laranja;
  • inversão do mamilo;
  • descamação ou ulceração do mamilo;
  • saída de secreção do mamilo (transparente, rosada ou avermelhada).

Ao notar qualquer um desses sintomas, procure por orientação médica para uma consulta e avaliação direcionadas e especializadas. 

Como lidar com o diagnóstico de câncer de mama?

Receber a notícia de um câncer de mama abala e afeta profundamente a paciente e sua família. Caso você tenha a confirmação do câncer de mama, lembre-se imediatamente de que você não está sozinha e de que trata-se de uma doença com altos índices de cura.

Por isso, empodere-se de informações, tire dúvidas, questione, esteja cercada de pessoas que te façam bem, busque pela melhor forma de cuidado e tratamento e encontre apoio em ONGs e em mulheres que já passaram ou estão passando pelo mesmo momento que você.

Ao se reconhecer em outras histórias, você se fortalece e se sente acolhida, encorajada e suportada. Uma instituição que realiza ações voltadas à prevenção e ao diagnóstico do câncer de mama é a Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (FEMAMA)

No ano passado, a Federação lançou a campanha 3 Perguntas que Salvam para saber como as mulheres estavam cuidando da própria saúde. As questões valem para hoje e podem indicar o quanto, de fato, elas estão preocupadas consigo mesmas.

  1. Você já fez sua mamografia este ano?
  2. Você tem controlado seu peso?
  3. Você tem feito atividade física?

Como citamos mais acima, as três perguntas se referem às ações que podem reduzir o risco de câncer de mama ou levar à detecção precoce da doença. Ao se deparar com essas perguntas, nos diga, como está seu autocuidado? 

Por fim, agora que você sabe mais sobre o Outubro Rosa e sobre o câncer de mama, é hora de colocar-se como prioridade, olhar para si, perceber o próprio corpo, mudar ou incorporar hábitos mais saudáveis, ter acompanhamento médico regular e proteger a sua saúde com consciência e afeto, certo? 

A Oleak preza pelo bem-estar e pela saúde de todas e entende que a prevenção e a atenção são as melhores demonstrações de cuidado. 

Até o próximo! 

Fontes:

INCA

SBM

Leia também